quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Sobre abandonar

Uma tarde dessas se explicaria. A porta da frente sempre esteve aberta, não se atreva a me dizer que eu queria te prender. Lá nos fundos da casa algumas quinquilharias, coisas suas que deixei empilhar. Mas o espaço está pequeno e vou ter que jogar toda aquela tralha fora. Te aviso agora, este lixo não é meu. Ferro velho são só coisas usadas e o mesmo perdeu o seu lugar. Quando deixa de servir, a gente tem que abandonar e eu escolho você para ir embora.

2 comentários:

  1. A parte de escolher quem deve partir é a que mais dói. Mas liberta, com certeza.

    ResponderExcluir